A Vida sob um olhar mais crítico. (respira e me bate só depois de ler o texto até o fim, por favor!)

vida entre a luz e a escuridão

vida entre a luz e a escuridão

Um Homem que acessa os opostos da sua natureza: de um lado divina e de outro monstruosa. Num nível tão colossal que ambas são de difícil compreensão. E nesse mistério um tanto assustador nos mostra o poder de operar “milagres” e a capacidade de causar desgraças irremediáveis.

 

Pra mim nenhuma cura isenta a responsabilidade e o efeito de um abuso mas também nenhum abuso isenta o impacto de uma cura durante a vida.

 

Ele precisa viver as consequências dos seus atos e ser punido? CLARO QUE SIM! Assim como foi reverenciado no passado pelo seu trabalho.

Eu tô querendo falar sobre a possibilidade do outro ser “bom” E “mal”, sobre luz E escuridão. Vou mudar de cenário e fazer uma péssima comparação só para trazer o ponto de outro jeito. Pessoas bilionárias na minha impressão são gênios! Realmente pensam de um jeito atípico, fora da caixa mesmo… é outro esquema, o cara acessa outro lugar e não tem livro/curso que ensine isso… ( eu tô falando de exageros tipo Steve Jobs ).

Maaaaas emocionalmente/socialmente eles são bem “fracos” ou um tanto “problemáticos”. Ou seja, são incompletos. Somos INCOMPLETOS. E quem sabe quando algo muito forte se destaca em nós alguma outra parte se compromete. Quem sabe o requisito pra estar na Terra seja incompletude, depois vamos brincar em outro lugar. Nesse sentido não existe aqui embaixo “guru” fulltime.

Não é interessante que nos últimos 1 ou 2 anos “gurus” importantes foram “desmascarados”? (Osho, Prem Baba e João). Eu nem usaria esse termo “desmascarados”, diria que só trocamos a máscara. Antes do céu, agora do inferno.
Será mesmo que eles são uma coisa OU outra?
Salvou pessoas. Destruiu vidas.
É de Deus. É do Diabo

Minha teoria é que eles acessam estados de ampliação de consciência e habilidades que sem esses estados não existiriam. E em outros momentos acessam também suas necessidades, traumas, fraquezas e até crueldade com a mesma intensidade.

Vou concluir parafraseando uma das poesias mais favoritas da minha vida “Mas eu, que nunca principio nem acabo, nasci do amor que há entre Deus e o Diabo”.

Deixar seu Comentário

Comentar