Em toda experiência da vida, desde lavar louça até fechar um negócio, você está aqui. Podemos estar por completo ou divididos. Quando voltei de Piracanga (uma ecovila na Bahia onde eu passei 3 meses), e fui no supermercado, tive uma experiência de êxtase.

Sorrir na vida

Eu lembro de chegar em casa com as compras e correr para arrumar tudo rápido e então no meio da correria eu comecei a rir sem parar. “Eu não tenho compromisso nenhum”, me dei conta. Parei tudo, coloquei uma música e recomecei a organizar as compras. A música estava tão convidativa que estendi a arrumação e organizei os armários da cozinha.

O contentamento com aquele momento era tanto que me deu vontade de cozinhar, e lá fui eu fazer o pão de beijo que eu tinha aprendido na ecovila. Só de lembrar desse dia me dá vontade de sorrir, aquele sorriso simples que não é frágil.

Nem todas as experiências pós supermercado são assim, normalmente não são. Porque esquecemos que a vida está acontecendo agora. A gente não acessa os instantes que podem ser preciosos porque a nossa aceleração não deixa.

Esses dias tomando café da manhã eu percebi que eu estava correndo, eu tinha um compromisso. Percebi e desacelerei, esse momento não pertence a mais ninguém, é ele quem não pode esperar. A minha energia às vezes me impede de pausar, ela quer sempre o movimento. E eu tenho treinado muito para não cair na armadilha da maratona vazia.

Fugir desse momento é fugir da vida.

Deixar seu Comentário

Comentar