Você vai morrer, você queira ou não. Mais cedo ou mais tarde, vai rolar.

O que sabemos sobre isso é que este corpo como você conhece deixará de existir. Para além disso, são filosofias e crenças. Independente do que você acredita, a vida sendo você (sua personalidade, no seu veículo corpo, nesse espaço e tempo) não existirá mais. Nunca mais!

Existência

Existência como honrar

Então olha só, tudo isso que compõem esse indivíduo que é você ( gostos, vontades, aptidões, características, cabelo, cor, traumas, sonhos…), que está totalmente influenciado por onde você está ( cultura, país, época, planeta… ) e com quem ( seus país, família, círculo de amigos, colegas, vizinhos…) e que é 1 entre 7 bilhões de seres humanos, vai morrer.

Como você está usufruindo dessa singularidade extremamente complexa? Porque essa mistura que é você é ÚNICA! O que você está fazendo?

Não seria trair a existência você não se realizar?

Pensa comigo, se fosse pra gente pensar igual, se vestir igual, namorar igual, trabalhar igual, sonhar igual…. não seria mais fácil fazer um monte de robô ? Não seria um sinal cósmico essa diversidade pra gente honrar nossa individualidade? E exercer poder sobre ela, no sentido de desbravar o que SÓ você é?

Quando você pensa sobre a Terra e percebe que somos esse pontinho azul no meio de uma vastidão infinita você pode ter duas perspectivas. Uma é de que é tudo insignificante e a outra é que a sua existência é um milagre. Se você somar essas duas perspectivas você tem LIBERDADE. Porque é milagrosamente insignificante, de uma maneira que não tem nenhum motivo para você não se entregar, não se jogar nesse vazio…. porque visto que você vai perder tudo de qualquer forma, você não tem nada a perder. E dado que você ainda está vivo, o que só você pode ser?

Deixar seu Comentário

Comentar